Projeto Social do Recivil participa de mais uma etapa do MPI

Imprimir

A equipe de projetos sociais do Recivil esteve nas cidades de Ibiaí, São João do Pacuí e São João da Lagoa, nos dias 28, 29 e 30 de maio, respectivamente, para participar de mais uma etapa do projeto Ministério Público Itinerante.
 
Durante os três dias, foram realizados mutirões de documentação civil para a população carente dos municípios, que têm baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). O Recivil participou na solicitação de segundas vidas de certidões de nascimento, casamento e óbito, além dos pedidos de retificação de registros.  
 

106 pessoas foram atendidas no município de Ibiaí.

 
O município de Ibiaí foi o primeiro a receber o projeto. Em apenas um dia, 106 pessoas foram atendidas.  Para a registradora civil das pessoas naturais da cidade, Debora Cristina Pimenta Diniz, o projeto permitiu o exercício da cidadania para parte da população menos favorecida. 
 
“É uma satisfação poder contribuir com esse projeto. A população do município é, em sua maioria, carente. A falta de transporte público intermunicipal, bem como a distância da sede da comarca e dos grandes centros, dificulta o acesso à documentação básica, como identidade, título de eleitor e outros. Ao vir até a população menos favorecida, o projeto traz informações, permite o exercício da cidadania e facilita o acesso à justiça. A iniciativa devolve dignidade às pessoas mais necessitadas e que vivem à margem da sociedade, mas que no dia a dia têm como referência as serventias de Registro Civil”, declarou Débora. 
 

Debora Cristina Diniz, registradora de Ibiaí acredita que o projeto permitiu o exercício da cidadania para parte da população.

 
O segundo município a receber o projeto foi São João do Pacuí. Durante o mutirão, foram emitidos 92 pedidos de segundas vias de certidões. Para o oficial da cidade, Luiz Gonzaga de Queiroz, o projeto ajudou no desenvolvimento da comunidade. “Foi um prazer participar desse evento com pessoas competentes, dedicadas e com disposição para trabalhar. O projeto ajudou no resgate da cidadania, da dignidade e no desenvolvimento da comunidade”.
 

Luiz Gonzaga de Queiroz, oficial de São João do Pacuí.  

 
O último município a ser visitado durante essa etapa foi São João da Lagoa. No dia 30 de maio, o município realizou o mutirão de documentação e a equipe do Recivil solicitou a emissão de 89 certidões.
 
“O projeto foi muito eficaz no atendimento à população. Nossa região possui diversas famílias carentes que não têm acesso à informação e acabam enfrentando dificuldades, seja de locomoção até os centros onde se encontram os órgãos públicos, seja financeira para a documentação. A iniciativa do projeto apresenta uma nova cultura socioeducativa para a comunidade, além de estreitar os laços entre o cidadão e o poder público”, declarou o registrador de São João da Lagoa, Rodrigo Rocha Fonseca Junior.
 

Oficial de São João da Lagoa, Rodrigo Rocha Fonseca Junior.

 
Veja os números dessa etapa:
 
Ibiaí - 106 atendimentos 
 
São João do Pacuí – 92 atendimentos 
 
São João da Lagoa -  89 atendimentos
 
Total de 287 atendimentos
 
 
 
 
Fonte: Assessoria de Comunicação do Recivil (Jornalista Renata Dantas)