Recivil e MP Itinerante realizam mais uma etapa do projeto de documentação civil


Imprimir

Publicado em: 01/11/2017

Palmópolis, Rio do Prado e Umburatiba foram os municípios atendidos.

A equipe de projetos sociais do Recivil esteve nos dias 24, 25 e 26 de outubro nas cidades de Palmópolis, Rio do Prado e Umburatiba, respectivamente, para realizar mais uma etapa do projeto social do Ministério Público Itinerante. O projeto é uma ação do Ministério Público em parceria com diversos órgãos, entre eles o Recivil e os registradores civis das pessoas naturais.


O primeiro município a receber o mutirão foi Palmópolis. Em apenas um dia, a equipe do Recivil realizou 133 atendimentos, entre pedidos de segundas vias de certidões de nascimento, casamento, óbito ou retificações.


Para a registradora civil de Palmópolis, Haialla Meire Amorim, realizar este tipo de ação é ajudar o próximo sem pensar em retorno. “O projeto MP Itinerante é um esforço coletivo e solidário. Significa poder proporcionar a melhoria de vida de nossa gente que se encontra muito carente. É antes de tudo um projeto que traz alegria para o povo”, declarou a oficiala.

 

 Para a registradora civil de Palmópolis, Haialla Meire Amorim (esq.), o projeto MP Itinerante é um esforço coletivo e solidário.


No dia seguinte a equipe seguiu para a cidade de Rio do Prado. No município, mais 86 pessoas foram atendidas pelo projeto. Para Patrícia Torres Botelho, oficiala de registro civil do município, estes são momentos gratificantes nessa tarefa de estar a serviço do outro. “A mim foi passado este importante legado que requer seriedade, responsabilidade, ética e amor. Executar as ações que me são atribuídas me permite contribuir com a justiça, com os direitos e com os deveres dos cidadãos”, disse Patrícia.

 

Patrícia Torres Botelho, oficiala de registro civil de Rio do Prado, disse que foram momentos gratificantes no serviço ao outro.


O último município a receber o projeto foi Umburatiba. Na cidade a equipe do Recivil atendeu mais 46 pessoas, totalizando 265 atendimentos nesta etapa. A registradora do município, Allana Almeida, falou sobre a dificuldade da população em ter acesso a documentação.

 

“A maior dificuldade da população local é a distância da comarca, que muitas vezes cerceia o acesso a informações e serviços importantes. São quase 60 km para percorrer, sendo que não possui transporte coletivo regular. Dificultando em especial para a população de baixa renda, que não tem veículo próprio para se deslocar. Trazer estes serviços que geralmente estão na comarca para a cidade, está além da resolução de problemas práticos, mas também uma conscientização da população que muitas vezes não tem nem conhecimento do oferecimento destes serviços”, declarou ela. 

 

A registardora civil de Umburatiba, Allana Almeida, acredita que a distância da comarca é uma das dificuldades de acesso da população a serviços públicos. 

 

 

Equipe do Recivil realizou 265 atendimentos nesta etapa.


O projeto MP Itinerante foi criado para atender os municípios com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). O Recivil é parceiro da iniciativa desde a criação do programa em 2010.

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Recivil (Jornalista Renata Dantas)